Camadas (Lincoln Bicalho)   
(2016), Recorte e gravação a laser sobre papel ginryu sogi e caixa de acrílico. 103 x 83 cm.   
O  trabalho apresenta o retrato do militante político capixaba Lincoln Bicalho que foi perseguido, torturado e morto pelo regime militar brasileiro. 
Em uma caixa de acrílico foram gravados carimbos de órgãos da repressão do governo militar (DOPS São Paulo, DOPS Espírito Santo, Serviço Nacional de Informação, Centro de Informações da Marinha e Centro de Informações do Exército), presentes em arquivos públicos, nos quais o artista encontrou referências ao militante. 
No interior da caixa foi afixado papel recortado a laser em formato de grade, preso apenas na parte superior. A variação da espessura das linhas que compõe a imagem em contraste com o fundo fumê da caixa promove o efeito óptico do rosto de Bicalho que contrasta com as imagens dos carimbos.
Informações oficiais do estado brasileiro a época afirmavam que Lincoln havia sido morto após reagir a uma ação policial. No entanto, em 2014 sua morte foi oficialmente dada como assassinato sob torturas no DOI-CODI do Rio de Janeiro. Registro com informações sobre o Bicalho estão presente em arquivos de vários órgãos de repressão e controle de todo o país.
Detalhe do papel recortado que através da variação da espessura da linha promove a percepção da imagem.